Vitória leva 4×1 do Vasco em casa e se complica na Série A

Foto: Mauricia da Matta / EC Vitória
Foto: Mauricia da Matta / EC Vitória

 

Após o triunfo fora de casa contra o Atlético-GO, tudo que a torcida rubro-negra queria para a noite desta quarta-feira (12) era vencer a segunda partida seguida pela primeira vez no campeonato, se afastar do Z-4, manter um tabu de 26 anos sem perder para a equipe carioca em casa e melhorar a sua campanha como mandante, que é a pior do Brasileiro até então.

Para a raiva dos 5.629 torcedores presentes, o que se viu foi o mesmo que vem ditando a tônica da campanha do Vitória na Série A até então: Um time incapaz de traduzir o domínio em resultado e bastante exposto nos contra-ataques. Ao fim do jogo, o placar de 3×1 para o Vasco em pleno Barradão, deixou a situação do rubro-negro ainda mais perigosa, dentro da zona de rebaixamento do Brasileirão.

A grande surpresa ficou por conta da escalação do zagueiro Renê Santos na vaga do volante Willian Farias, quando tudo levava a crer que Uillian Correia seria o escolhido. Apesar de Gallo ter afirmado que não se incomodou com o jogador ter ido a público reclamar da condição de reserva, a não utilização do jogador na partida desta quarta(12) pode deixar o clima pesado no Barradão.

Primeiro tempo – Com a manutenção do 4-1-3-2, o técnico Alexandre Gallo deixou claro que a proposta do Vitória seria de ritmo intenso e marcação elevada como nos últimos jogos. Mas a primeira grande chance do jogo foi vascaína.

Ídolo rubro-negro, Escudero voltou ao Barradão como adversário e mostrou porque a torcida do Vitória sente tantas saudades. Ditando o ritmo no meio de campo e levando perigo nas bolas paradas, o argentino cobrou escanteio fechado aos 7 minutos e viu o atacante Rafael Marques acertar o travessão de Fernando Miguel. Um minuto depois o Vitória respondeu com Cleiton Xavier e forçou o goleiro Martin Silva a fazer boa defesa.

O Vitória buscava sufocar o Vasco mas pecava na criatividade e abria muito espaço para os contra-ataques da equipe carioca. E aos 13, em cobrança de escanteio de Wagner, a bola sobrou no pé de Escudero que chutou cruzado e viu Kanu se atrapalhar com a bola e mandar para o próprio gol. Um erro bizonho e 1×0 para o Vasco no placar.

Com a torcida no pé, o Vitória tentou partir para cima e até teve a posse de bola durante boa parte da etapa, porém sem objetividade alguma. Quando uma grande chance surgiu, foi desperdiçada por André Lima, que após grande jogada de David, não conseguiu completar para o gol vazio.

Segundo tempo – Na volta do intervalo, o panorama continuou o mesmo do primeiro tempo. Vitória com a posse de bola e finalizando mais porém sem acertar o gol de Martin Silva. Ciente da pressão de perder mais um jogo em casa, Gallo resolveu ir para o tudo ou nada e sacou Yago para a entrada de Neílton aos 10 e de Paulinho no lugar de Renê aos 16.

Com o time armado em um 4-2-4 com David, André Lima, Paulinho e Neílton se movimentando muito no ataque, o Vitória amassou o Vasco até conseguir o gol de empate. Após ter feito o gol contra no primeiro tempo, Kanu subiu mais que todo mundo e se redimiu aos 25, empatando a partida.

O alívio não durou muito e a decisão tática de Gallo acabou cobrando o preço quando em um contra-ataque veloz, o Vasco se aproveitou do Vitória totalmente exposto e desempatou a partida com Thalles após lindo passe em profundidade de Guilherme. Visivelmente abalado, o rubro-negro tentou ir para o “abafa” e chegou a comemorar, mas o árbitro marcou impedimento de Kanu após o zagueiro marcar gol aos 34.

Aos gritos de “time sem vergonha”, a torcida mostrava a insatisfação com a apresentação do rubro-negro e se enfureceu de vez ao ver o resultado ganhar contornos de humilhação com os gols de Paulo Victor aos 46 e de Guilherme aos 49.

Com o resultado, o Vitória caiu uma posição e agora ocupa a 18ª colocação, dentro da zona de rebaixamento com 12 pontos em 13 jogos. Na próxima rodada, o rubro-negro enfrenta o Palmeiras às 11h do Domingo (16) pela 14ª rodada da Série A.


Comentários fechados.

Notícias Relacionadas