Sobre o caso de agressão à filha do prefeito de Muniz Ferreira, delegada comenta: “Se o acusado ferir as medidas de proteção, ele vai ser preso”

Sobre o caso de agressão à filha do prefeito de Muniz Ferreira, delegada comenta: “Se o acusado ferir as medidas de proteção, ele vai ser preso”

Delegada, Dr. Patrícia Jaques / Foto: Reprodução

A delegada da 4ª Coorpin de Santo Antônio de Jesus, Dra. Patrícia Jaques, comentou em entrevista a RBR sobre o caso da jovem Clara Emanuelle Santos Vieira, que acusou seu marido Filipe Pedreira, filho do prefeito de Salinas das Margaridas, de realizar diversas agressões contra a mesma em uma discussão na última sexta feira (11) (saiba mais, clique aqui). Segundo a delegada, que é responsável pelos casos de violência doméstica na região, já foi decretado as medidas de proteção à vítima, “nós estamos no intercorrer das investigações, a autoria, materialidade comprovada através de exames, vistoria no imóvel que estou aguardando o laudo da Polícia Técnica, para me informar a respeito dos detalhes dessa ocorrência. Hoje fui intimada pelo oficial de justiça de que foi concedida as medidas protetivas para a senhora Clara Emanuelle, dentre elas a proibição do acusado se aproximar 100 metros da vítima, dentre outros. Clara veio aqui atermar outras declarações, hoje ela se sente mais confortável após a decretação das medidas protetivas e também agradeceu nossa atuação”, declarou. Ainda questionada pela reportagem se Clara havia sido agredida após a saída de uma guarnição da Policia Militar, Dra. Patrícia confirmou: “isso procede! Segundo a própria Clara, a mesma negou a guarnição que havia sido agredida, a polícia não entrou em sua residência, sendo que a mesma falou da janela do primeiro andar do imóvel, por isto, os policiais não conseguiriam verificar as agressões. Ela negou que estava sendo agredida devido a uma coação do agressor. Ela relatou outras agressões em outros momentos, se tornando um agravante. A justiça pode decretar prisão, mas hoje, a consequência maior será se o acusado ferir as medidas de proteção, vai ser preso em flagrante. A motivação da violência foi ciúmes por parte do agressor”, concluiu a delegada. Em entrevista a Andaiá FM, Filipe Pedreira, o acusado das agressões, na manhã desta terça-feira (15), se defendeu ao dizer que as agressões partiram de Clara e que essa situação envolve política e dinheiro. Ainda de acordo com Filipe, Clara puxou a faca para ele (veja aqui).


Deixar um comentário

Atenção: Não será publicado comentários que desabonam a conduta e a moral das pessoas.

Notícias Relacionadas