Em jogo com poucas emoções, Vitória empata com o Fluminense

(Mailson Santana / Fluminense FC)

Há duas maneiras de ver o resultado desta quinta-feira (6) do Vitória. Pelo lado negativo, o Fluminense era um adversário direto e não vinha de um bom momento, tornando o duelo ‘acessível’ ao Leão. Pelo lado positivo – e é a este o que o torcedor precisa se apegar –, o rubro-negro poderia ter saído do Maracanã com um resultado muito pior do que o empate em 0x0.

Numa estratégia estranha, o Leão buscou o contra-ataque desde o apito inicial, mas nada acertou. Ficou quase todos os 90 minutos na defesa, se protegendo como podia.

O lado bom é que – tirando uma bola na trave logo no começo do jogo – o Fluminense praticamente não agrediu. E o Vitória pode se orgulhar de ter completado três jogos seguidos sem sofrer gol pela primeira vez nesta Série A.

Com o ponto importante, o Vitória fica em 14º, com 26 pontos, três à frente da zona de rebaixamento. No domingo (9), às 19h, pega outro rival direto, o Vasco, no Barradão.

O jogo
Carpegiani escalou quatro zagueiros de origem. Lucas Ribeiro e Aderllan ficaram nas suas posições e Bruno Bispo deu sequência na lateral esquerda – onde havia jogado contra o América-MG. Ramon, por sua vez, voltou a atuar como volante.

No meio-campo, mas dois volantes, Léo Gomes e Rodrigo Andrade. Sem qualquer peça capaz de fazer o papel de meia, o objetivo era claro: buscar o contra-ataque com os três velozes da frente. O problema é que a jogada não saiu. E o Vitória ficou no lucro no primeiro tempo.

A única chance que o Leão arranjou veio aos 13 minutos. Bruno cruzou da esquerda na área, Ayrton Lucas falhou e a bola ficou com Rodrigo Andrade, na cara do gol. Júlio César fez uma linda defesa.

Fora isso, só deu Fluminense. Aos 11, a zaga do Leão deu espaço e Everaldo chutou no travessão. Aos 22, Matheus chutou da direita e Ronaldo fez linda defesa. E aos 40, Ayrton Lucas passou por quatro e chutou para fora.

A agonia seguiu na etapa final. A bola continuou a maior parte do tempo com o Fluminense. A diferença é que o Vitória, desta vez, marcou melhor. Recuou o time inteiro e passou a ‘cozinhar’ o jogo.

Em meia hora, o Flu teve só uma chance mais clara. Aos 12, Kayke lançou Léo na direita, que chutou cruzado buscando algum desvio. O atacante foi o último a tentar alcançar a bola, no segundo pau, sem sucesso.

O problema de ‘cozinhar’ o jogo é que, se o Flu não criou tanto perigo, o Vitória, então, não deu um chute na direção do gol sequer. E teve que observar os 15 minutos finais com algum sofrimento.

Aos 40, Marcos Júnior cobrou falta na área e Júnior Dutra cabeceou. Por sorte, a redonda passou raspando a trave de Ronaldo. E foi só.

*Correio


Comentários fechados.

Notícias Relacionadas