Mesmo após ser cassado Ex-prefeito Moacy Pereira, fez contrato R$ 658.45,96 sem licitação.

MoacyPereira PTN NEWS
FOTO: PTN NEWS
Em um café da tarde, com o advogado Dr. Janjório Vasconcelos, conhecido no Estado da Bahia como caçador de Marajá, Filogno Mascarenhas, Dr. Ivan entre outros, foi descoberto umas das primeiras ações irregulares que a anterior gestão veio tomando na cidade de PTN.
O gestor cassado pela justiça eleitoral, Moacy Pereira utilizou-se do site de publicação oficial do município de Presidente Tancredo Neves para fazer a difusão retroativa de contrato sem licitação no valor de R$ 658.45,96, (Seiscentos e cinquenta e oito mil e quarenta e cinco reais e noventa e seis centavos) em nome da empresa PRIMOS PRÉ-MOLDADOS, EDIFICAÇÃO E COMÉRCIO LTDA – ME. Contratação esta para os serviços de execução em Recuperação de Pavimentação em Paralelepípedos em diversas Ruas Distritos de Corte de Pedra e Moenda e na sede do município de Presidente Tancredo Neves.4
 O que mais chama a atenção é a data da publicação do contrato que aconteceu após o ex- prefeito ter sido cassado. E esse dinheiro, onde foi parar?

Motorista recebe multa de R$ 12,7 mil por excesso de velocidade


O motorista Lucas Raphael Batista Ribeiro, do Distrito Federal, recebeu na última quinta-feira (19) uma multa de R$ 12.769 por excesso de velocidade em uma via da capital. Segundo Ribeiro, de 20 anos, a infração aconteceu no dia 12 de fevereiro, quando ele passou a 80 km por hora em um trecho da EPNB em que a velocidade máxima é de 60 km por hora. Responsável pela fiscalização na EPNB, o DER disse que o erro se deve à vírgula que separa o valor posta no lugar errado. A multa, na verdade, é de R$ 127,69. O órgão disse que a notificação deverá ser desconsiderada e uma nova multa, com o valor corrigido, enviada ao motorista. Ao abrir a notificação, Lucas se assustou com o valor da multa. “Eu realmente espero que tenha sido um erro. Não tem condições uma multa por excesso de velocidade ser esse valor.” De acordo com o auto de infração, o excesso de velocidade foi registrado às 13h21. Apesar de o radar ter registrado o veículo a 80 km/h, a velocidade considerada para a autuação foi de 73 km/h, descontada a margem de erro. Ultrapassar em até 20% a velocidade permitida é infração média, com multa de R$ 85,13 e quatro pontos na carteira. Acima de 20% e até 50%, a infração é grave – multa de R$ 127,69 e perda de cinco pontos. Acima de 50% da velocidade máxima da via, o motorista comete infração gravíssima, com multa de R$ 191,54 e perda da habilitação. (Globo)

Para 84%, presidente sabia de corrupção dentro da Petrobras


De cada 10 brasileiros, 8 acreditam que a presidente Dilma Rousseff sabia da corrupção que acontecia na Petrobras, investigada pela força-tarefa da Operação Lava Jato. É o que mostra pesquisa Datafolha feita nos dias 16 e 17 em todo o país.Também é majoritária a parcela dos que acreditam que a petista, além de ter conhecimento do esquema, deixava que ele operasse livremente. Do total de entrevistados, 61% acham que ela “deixou” que ocorressem os crimes. Outros 23% dizem que, apesar de saber, Dilma “não poderia fazer nada” para impedir. Os resultados são parecidos entre os entrevistados de todas as divisões socioeconômica, faixas etárias e preferências partidárias, inclusive entre eleitores da petista. No grupo dos que declararam voto em Dilma no segundo turno da eleição do ano passado, 74% acham que ela sabia do esquema —outros 19% acreditam que ela não tinha conhecimento e 8% não souberam responder. Dos que votaram no senador tucano Aécio Neves (MG) para a Presidência, 94% têm convicção de que Dilma sabia da corrupção na Petrobras; 3% acham que ela não sabia; outros 3% não souberam responder à pergunta. *Informações da Folha.