Bolsonaro e Marina cressem na preferencia dos evangélicos e Lula diminui .

Datafolha: Lula reduz margem com evangélicos; Marina e Bolsonaro crescem

A influência do eleitorado evangélico pode reduzir a margem de conforto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na corrida presidencial e ampliar a vantagem do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) e de Marina Silva (Rede), de acordo com pesquisa do instituto Datafolha realizada no final de setembro. Ele obtém ao menos 35% das intenções de voto no panorama geral dos cenários, mas vai a 29% em uma simulação só com evangélicos em sondagem estimulada (quando são exibidos cartões com nomes de candidatos. Católicos ainda são a maioria no país, mas o número vem diminuindo – de 90% nos anos 1980, passaram a 52%. Os evangélicos representam a segunda maior parcela, com 32%. No primeiro quadro, sem Ciro Gomes (PDT) e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), Lula lidera com 36% (32% se considerando só os evangélicos), seguido de Bolsonaro com 16% (subindo para 21% entre os evangélicos) e de Marina, que tem 14% na parcela geral e 17% entre os evangélicos. No cenário 2, sem o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB) e sem Ciro, Lula obtém 35% (geral) e 29% (evangélicos). Bolsonaro melhora o desempenho, com 17% (geral) e 22% (evangélicos); e Marina fica com 13% e 17%. No cenário 3, sem Lula e Alckmin, Marina lidera com 23% (27% entre evangélicos), seguida por Bolsonaro, com 18% (23% entre evangélicos). João Doria obtém 10% (9% no meio evangélico), quase a mesma pontuação que Ciro (10%;8%). Nesta consulta, que entrevistou 2.772 pessoas em 194 cidades, entre os dias 27 e 28 de setembro; Lula tem a maior rejeição: 42% no total, 46% se considerados somente evangélicos. Bolsonaro é rejeitado por 33% do eleitorado, mas menos rechaçado entre evangélicos (27%). O mesmo acontece com Marina (26%; 21%). No caso de Alckmin, o patamar é semelhante (31%; 28%); assim como Ciro (27%; 27%), Doria (25%;22%), Fernando Haddad (29%; 29%) e Rodrigo Maia (30%; 30%). A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.


Transito no município de presidente Tancredo neves poderá ser municipalizado .

Na noite desta quinta-feira, 19 de outubro de 2017, foi realizada no plenário da Câmara Municipal de Vereadores do Município de Presidente Tancredo Neves a AUDIÊNCIA PÚBLICA de Municipalização de Trânsito, cerca 20 pessoas compareceram para uma população de 28 mil habitantes, lamentavelmente foi baixíssimo o número das pessoas presentes, observa-se que nas redes sociais muitas opiniões, mas, na hora de se fazer presente e defender seu ponto de vista poucos aparecem. Mas o PTN NEWS estava por lá, e vamos mostrar tudo que aconteceu.
A Audiência foi apresentada pelo senhor Aparecido. 
Realizamos uma entrevista com Aparecido, ele esclarece todos os pontos, ouça abaixo a entrevista


Associação de produtores de Cravo-da-índia é fundada em Valença e beneficiará todos os produtores da região

Foto:PTN NEWS

Na última quarta-feira, dia 18 de outubro de 2017, foi realizado na CDL do Município de Valença a assembleia de fundação da Associação de Produtores de Cravo-da-índia da Bahia que foi conduzida pelo secretário de Agricultura de Valença, José Negrão.

A Associação de Produtores de Cravo-da-índia da Bahia (APROCRAVO) tem o objetivo de fortalecer a cadeia produtiva do cravo-da-índia para aumentar a economia e a qualidade de vida da população. O Estatuto Legal foi aprovado por unanimidade, e pontua o desenvolvimento de ações político – institucionais que visam à promoção de atividades de relevância pública, social e ambiental, exercício de mútua colaboração entre os sócios, visando prestação de serviços que possam contribuir para o fomento e a racionalização das atividades agrícolas, bem como promover o melhoramento das condições socioeconômicas, assistência técnica e extensão rural para o aumento da produção do cravo, melhoria de qualidade, garantia de mercado e melhores preços aos produtos.
Há mais de 200 anos os primeiros pés de cravo-da-índia foram plantados em nossa região. Vivemos momentos áureos e também momentos de preços pífios que não compensavam nem o custo da colheita. Não bastasse, temos agora o desafio do aumento da mortandade das plantas adultas em fase de produção. Com a criação da APROCRAVO, nós nos organizarmos e podemos encarar esse desafio de frente. Inclusive já foi iniciado uma tese de doutorado na UFRB, em Cruz das Almas, onde o objetivo é dar nome e sobrenome aos patógenos que estão matando os nossos craveiros e a forma de controlá-los. Com certeza, não só os agricultores serão beneficiados, mas toda a sociedade do Baixo Sul da Bahia, disse José Negrão

A diretoria eleita da APROCRAVO ficou definida por: Presidente – Solano Miranda Bonfim, vice-presidente – Jorge Sarmento, 1º secretário – Antônia Ribeiro, 2 º secretário – Edvaldo dos Santos, 1º tesoureiro – Fábio Bacellar, 2º tesoureiro – Alzenito Paulo de Souza.

O PTN NEWS, se fez presente na assembleia da cidade de Pres. Tan. Neves, foi registrado a presença do técnico agrícola Caboré Oliveira e do comerciante Oziel Brito.

PTN NEWS


Avião da TAM com deputados federais baianos dá pane em Brasília

Avião da TAM com deputados federais baianos dá pane em Brasília

Cinco deputados federais baianos passaram por um susto nesta quinta-feira (19), em Brasília, quando o avião em que embarcariam, da companhia TAM, teve uma pane antes de decolar do aeroporto. Estavam a bordo Félix Mendonça Júnior (PDT), Bacelar (Podemos), Fernando Torres (PSD), Pastor Luciano Braga (PRB) e Irmão Lázaro (PSC). Em entrevista , Félix relatou a situação. “Por volta de meio-dia, saímos de Brasília. Indo para a pista, o avião ficou parado um tempo. Teve todo mundo que descer do avião”, contou o pedetista. Por causa do problema, os passageiros tiveram que esperar mais de seis horas até embarcar em outro voo. O parlamentar ainda disse que, apesar do ocorrido, não sentiu nenhum tipo de medo. Ele ficou tranquilizado com a presença de Luciano e Lázaro, ambos lideranças evangélicas e pregadores contumazes. “Eles estavam orando”, brincou.


Com mais de 35 mil inscritos, concurso para o MP terá provas neste domingo (22)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O concurso do Ministério Público da Bahia (MP-BA), que tem 61 vagas para os níveis médio e superior, teve 35.627 mil inscritos. As provas seletivas serão realizadas no domingo (22). Os locais onde serão realizados os exames estão disponíveis na internet, no site da empresa organizadora do certame.

 

O horário das avaliações foi disponibilizado no cartão de confirmação da inscrição. Confira o edital do concurso. Conforme o MP, dos inscritos, 32.138 concorrerão às 50 vagas disponíveis para o cargo de assistente técnico-administrativo e 3.489 às 11 relativas ao cargo de analista técnico. Serão classificados candidatos até dez vezes o número de vagas ofertadas.

 

O número de contratados pode ser maior que o de vagas oficiais, segundo o órgão. As remunerações iniciais são de R$ 3.284,83 para nível técnico e R$ 5.917,44 para o nível superior, além de auxílio-alimentação e auxílio-transporte, se for o caso. A jornada semanal é de 40 horas de trabalho. Para os cargos de analistas serão cobrados temas como conhecimentos básicos em Língua Portuguesa, Legislação Aplicável ao MP baiano e conhecimentos específicos para cada área.

 

No caso dos assistentes, serão cobrados conhecimentos básicos em Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico e específicos em Direito Administrativo, Noções de Administração e Legislação Aplicável ao MP. As 11 vagas para analista estão distribuídas entre as especialidades de Pedagogia (2), Psicologia (2), Serviço Social (2), Tecnologia (1), Estatística (1), Letras (1), Engenharia Sanitária (1) e Engenharia Florestal (1). O concurso tem prazo de validade de 18 meses, prorrogável uma única vez por igual período.


Litoral FM pesquisa preço do botijão de gás no Baixo Sul

As donas de casa vivem se perguntando por que tanta variação de preços no botijão de gás de 13 kg, que é comercializado no Baixo Sul. A Litoral FM foi atrás de uma resposta. Depois de mudanças nos reajustes, devido à variação das cotações do produto no mercado internacional, percebe-se que não dá mais pra acompanhar os valores de uma semana para a outra.

A reportagem de Litoral Notícias fez uma pesquisa regional (de Valença à Itacaré), após o último reajuste de 12,9% concedido pela Petrobras, entre os dias 17, 18 e 19 de outubro, por telefone, para saber os valores médios cobrados pelas revendedoras do botijão de 13kg, o mais utilizado nas cozinhas residenciais.

Começando por Valença, o preço do botijão, na maior cidade do Baixo Sul, é comercializado a R$ 65,00 à vista e R$ 70,00 a prazo no distribuidor Butano. Na Brasilgás de Valença, o consumidor paga R$ 68,00 à vista e R$ 78,00 a prazo. A Litoral FM tentou contato com alguma revenda de gás emCairú, mas sem sucesso. Em Taperoá, a Brasilgás revende o botijão a R$ 62,00 à vista e oferece o melhor preço a prazo da região R$ 67,00.

Nilo Peçanha e Maraú são as cidades que apresentam o menor preço cobrado pelo botijão de 13kg. Foram consultados dois revendedores, ambos da Brasilgás, em Nilo, e o valor cobrado à vista é de R$ 60,00. Na cidade de Maraú, o revendedor autorizado da Supergasbras/Liquigás, Scooby Gás, informou que vende à vista por R$ 60,00 na loja, R$ 63,00 em domicílio e a prazo R$ 68,00.

O preço médio cobrado em Ituberá é de R$ 75,00, mas esse valor pode chegar aos R$ 86,00, de acordo com a forma de pagamento. Na distribuidora Brasilgás, por exemplo, o valor do botijão varia entre R$ 75,00 na revendedora e R$ 80,00 na entrega em residência. A Panakum vende o produto da Brasilgás a R$ 76,00 à vista e a R$ 86,00 a prazo. Na Liquigás, o botijão à vista custa R$ 75,00 e a prazo, de R$ 80,00 a R$ 85,00, a depender do prazo dado ao cliente.

No município de Igrapiúna foram consultadas quatro revendas de gás de cozinha. Brasilgás, Copagaz, Supergasbras e Liquigás, e o preço médio praticado na cidade é de R$ 70,00 à vista e R$ 83,00 a prazo.

Em Camamu, Brasilgás e Butano apresentam preços iguais. O primeiro vende o botijão à vista a R$ 75,00 e a R$ 85,00 a prazo. Já o revendedor Butano informou que vende à vista a R$ 75,00 e não fornece o produto a prazo. Em Itacaré, a reportagem da Litoral FM entrou em contato com quatro revendedores e apurou que os preços naquela cidade variam de R$ 68,00 à vista a R$ 80,00 a prazo.

Alguns revendedores informaram que os preços apresentados podem variar no momento da venda, com desconto à vista, em dinheiro, ou através de pagamentos efetuados com cartão de débito ou crédito. Apesar de alguns distribuidores afirmarem que não vendem a prazo, o levantamento mostra que boa parte das vendas se dá justamente pelo modo a prazo, em função da praticidade para o consumidor e fidelização entre cliente e empresa.

Em relação às diferenças de preços, os revendedores afirmaram que isso se deve ao tipo de estrutura de cada empresa. O tamanho da clientela, as quantidades comercializadas no mês, carga tributária, número de funcionários, o tipo de segurança oferecida, dentre outros.


Multas de trânsito poderão ser parceladas no cartão de crédito

A resolução já está em vigor, mas cada órgão de trânsito ainda
precisa habilitar as operadoras de cartões.

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou nesta quarta-feira, 18, uma resolução que permite o pagamento de multas de trânsito com cartões de débito ou crédito. O valor poderá até ser parcelado, mas com a devida cobrança de juros pela entidade financeira do cartão, como quando as compras a prazo não são parceladas pela própria loja. A resolução já está em vigor, mas cada órgão de trânsito ainda precisa habilitar as operadoras de cartões para oferecer o serviço, que não é obrigatório. Alguns Detrans e prefeituras já fazem parcelamentos por meio de documentos de arrecadação, geralmente com pagamento do primeiro boleto da dívida na hora de assinar o termo de adesão. De acordo com o diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Elmer Vicenzi, muitos proprietários faziam este tipo de parcelamento apenas para regularizar o veículo, obter o licenciamento ou a possibilidade de transferência, e depois não pagavam o restante das parcelas.


Gasolina tem aumento de 0,8% nas refinarias a partir deste sábado

O preço da gasolina vendida pela Petrobras nas refinarias será elevado em 0,8%, a partir deste sábado (14). A informação foi divulgada nesta sexta-feira (13) pela estatal. Isso não significa, necessariamente, aumento nos postos de gasolina. O valor final aos motoristas nas bombas deverá variar, de acordo com estoques dos postos e a concorrência, pois o preço ao consumidor é regulado livremente pelo mercado. Já o preço do óleo diesel sofreu redução de 0,2%, que também valerá a partir deste sábado. Segundo a Agência Brasil, a companhia informou que a política de preços para a gasolina e o diesel vendidos nas refinarias às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, que representa a alternativa de suprimento oferecido pelos principais concorrentes para o mercado. “Em busca de convergência no curto prazo com a paridade do mercado internacional, analisamos nossa participação no mercado interno e decidimos periodicamente se haverá manutenção, redução ou aumento nos preços praticados nas refinarias”, explicou a estatal. (BN)

CGU avalia regularidade dos pagamentos do seguro defeso ao pescador artesanal

Trabalho identificou sistemas vulneráveis e utilização para fins eleitorais. Não há monitoramento dos beneficiários. Dos entrevistados, 66% recebem indevidamente
CGU recomendou que elementos objetivos para conceituação de pesca comercial sejam incluídos nos normativos do registro do pescador

CGU recomendou que elementos objetivos para conceituação de pesca comercial sejam incluídos nos normativos do registro do pescador

O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) divulga o resultado da avaliação sobre os pagamentos do Seguro Desemprego ao Pescador Artesanal (Seguro Defeso). O objetivo da auditoria foi avaliar a regularidade dos beneficiários inscritos no Registro Geral da Atividade Pesqueira (RGP); a segurança da base de dados; o processo de concessão de licenças de pesca; bem como a rotina de fiscalização adotada pelo órgão responsável – antes a cargo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), mas, desde maio de 2017, em razão da MP nº 782, transferida ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Acesse o relatório na íntegra 

Acesse os dados regionais (estados e municípios)

O tema foi selecionado em razão de sua materialidade (volume de recursos envolvidos) – o pagamento do Seguro Defeso mais que triplicou de valor, passando de R$ 602 milhões em 2008 para quase R$ 2 bilhões em 2015. No mesmo período, houve aumento de 92,4% no número de inscritos no RGP, atingindo a marca de 1.052.711 pescadores artesanais cadastrados. 

Constatações

Para a condução da auditoria, a CGU visitou as residências e realizou entrevistas com 2.315 cadastrados no RGP como beneficiários do Seguro Defeso, distribuídos em 126 municípios. Entre as irregularidades encontradas, destacam-se:

  • Pagamentos Indevidos de Seguro Defeso: 66% dos entrevistados, embora indicados como exclusivamente pescadores, não exerceram a pesca no período analisado pela entrevista (2013 e 2014), ou praticaram outras atividades remuneradas, geralmente informais, tendo a pesca como atividade complementar.
Seguro Defeso 1
  • Cadastros Irregulares no Sistema do RGP (SisRGP): os controles existentes no sistema são vulneráveis e não evitam a ocorrência de falhas no cadastro dos pescadores, nem mitigam os riscos de exploração das vulnerabilidades. Destaca-se que logins e senhas de acesso de servidores eram utilizadas por funcionários terceirizados, com ou sem o consentimento dos titulares.

    Tal fragilidade na base de dados do SisRGP permitiu um pico na quantidade de registros (24.430) justamente no mês anterior ao do pleito eleitoral de 2014. O mesmo não foi observado no mês de setembro de 2013 (3.214 inscrições). O fato reforça a tese de que o cadastro esteja sendo utilizado para fins alheios aos que direcionam a política pública.

Seguro Defeso 2
Fonte: Base de dados do sistema SisRGP
 
  • Ausência de Fiscalização: o órgão responsável pelo Seguro-Defeso não verifica se os registrados são de fato pescadores. Não há manual de procedimentos (com o fluxo desde o recebimento até a emissão da carteira de pescador artesanal), nem rotina de monitoramento e inspeções periódicas dos beneficiários inscritos no RGP.
  • Inadequação dos Processos de Cadastramento: foram verificados problemas nas superintendências que impactaram diretamente na fidedignidade das informações constantes no RGP. Tais falhas se estendem desde a análise da documentação apresentada pelos requerentes na ocasião de sua inscrição até a conformidade dos dados inseridos no SisRGP.

Diante do constatado, foi concluído que o registro do pescador não possui efetividade, sob o aspecto de que a informação registrada não é confiável para reverter em benefícios para a gestão pesqueira, e é ineficiente em nível intolerável para justificar a manutenção da política pública nos moldes atuais. Tal irregularidade é agravada pela ausência de fiscalização do registro, pela ausência de definição de critério objetivo de renda para caracterizar a pesca com fins comerciais e pela inexistência de penalidades para as entidades representativas que apresentam documentação não fidedigna ao órgão responsável pelo registro.

Recomendações e atuação conjunta

A partir das constatações levantadas, a CGU recomendou que, durante processo de recadastramento dos inscritos, sejam incluídos, nos normativos do registro do pescador, elementos objetivos para conceituação de pesca comercial. Também se recomendou que fossem criados mecanismos de responsabilização das entidades representativas de pescadores quanto à veracidade das informações prestadas; que institucionalizasse um Plano Nacional de Fiscalização do RGP; e que adotassem estratégia de divulgação local nos municípios mais críticos e outras medidas de transparência pública visando a esclarecer sobre as regras do registro e das situações consideradas irregulares.

Além de expedir recomendações para os gestores da política pública, a CGU tem atuado no âmbito do Comitê de Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas Federais (CMAP) para aperfeiçoar a política pública e corrigir as fragilidades apontadas. Um dos benefícios obtidos foi a publicação do Decreto nº 8.967, em janeiro deste ano, que estabelece melhorias nos critérios de inscrição no RGP e de concessão do benefício do Seguro-Defeso. O normativo foi assinado pela Presidência da República, MAPA, Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDS) e Ministério do Meio Ambiente (MMA).

A CGU permanece na busca conjunta por soluções e realiza sistemático acompanhamento da adoção das providências por parte dos gestores responsáveis.


Enquanto a BA 001 espera, Governo autoriza recuperação de estradas na Bahia

Enquanto a BA 001 continua a espera de uma urgente requalificação, o Governador Rui Costa assinou no último sábado (7), a ordem de serviço que marcou o início das obras para recuperar 20 quilômetros da BA-390, no trecho entre os municípios de Sítio do Quinto, Antas e nos entroncamentos com a BA-392 e a BR-110, no nordeste baiano. Serão R$ 4 milhões em investimentos.

Na estrada que será recuperada trafegam cerca de 340 veículos diariamente, principalmente dos municípios de Antas, Sítio do Quinto e Adustina. As obras, sob responsabilidade da Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra), vão restaurar e pavimentar três trechos da BA-390.

No Baixo Sul, há um verdadeiro batalhão de políticos, dentre eles, prefeitos, secretários, deputados, líderes de associações, e até mesmo líderes religiosos, pedem, incansavelmente que o Governo do Estado priorize o Baixo Sul com a recuperação da BA 001 entre os municípios de Valença ao Distrito de Travessão,em Camamu, e entre Piraí d Norte e a Praia de Pratigi. Por sua vez, o Governador Rui Costa já garantiu a obra sairá do papel.

Um dos motivos alegados para o atraso na licitação e ordem de serviço, é um bloqueio de recursos por parte do Governo Federal junto ao Banco do Brasil, que poderia estar beneficiando a Bahia com obras de infraestrutura. Situação e oposição, na assembléia da Bahia, travam uma verdadeira batalha de acusações sobre esses recursos que já deveriam estar na conta do governo baiano.

Da Redação